Resenha: O acordo (amores improváveis #1), Elle Kennedy

CAPA-O-AcordoLivro: O acordo (amores improváveis #1)

Autor: Elle Kennedy

Editora: Paralela

Páginas: 360

Ano: 2016

Sinopse: Hannah Wells finalmente encontrou alguém que a interessasse. Mas, embora seja autoconfiante em vários outros aspectos da vida, carrega nas costas uma bagagem e tanto quando o assunto é sexo e sedução. Não vai ter jeito: ela vai ter que sair da zona de conforto… Mesmo que isso signifique dar aulas particulares para o infantil, irritante e convencido capitão do time de hóquei, em troca de um encontro de mentirinha. Tudo o que Garrett Graham quer é se formar para poder jogar hóquei profissional. Mas suas notas cada vez mais baixas estão ameaçando arruinar tudo aquilo pelo qual tanto se dedicou. Se ajudar uma garota linda e sarcástica a fazer ciúmes em outro cara puder garantir sua vaga no time, ele topa. Mas o que era apenas uma troca de favores entre dois opostos acaba se tornando uma amizade inesperada. Até que um beijo faz com que Hannah e Garret precisem repensar os termos de seu acordo.

(mais…)

Resenha: O Despertar do Príncipe (Deuses do Egito #1), Colleen Houck

o-despertar-do-principe-1024x1474

Livro: O Despertar do Principe (Deuses do Egito #1)

Autor(a): Colleen Houck

Editora: Arqueiro

Páginas: 377

Ano: 2015

Sinopse: Lilliana Young tem uma vida aparentemente invejável. Ela mora em um luxuoso hotel de Nova York com os pais ricos e bem-sucedidos, só usa roupas de grife, recebe uma generosa mesada e tem liberdade para explorar a cidade. Mas para isso ela precisa seguir algumas regras: só tirar notas altas no colégio, apresentar-se adequadamente nas festas com os pais e fazer amizade apenas com quem eles aprovarem. Um dia, na seção egípcia do Metropolitan Museum of Art, Lily está pensando numa maneira de convencer os pais a deixá-la escolher a própria carreira, quando uma figura espantosa cruza o seu caminho: uma múmia — na verdade, um príncipe egípcio com poderes divinos que acaba de despertar de um sono de mil anos. A partir daí, a vida solitária e super-regrada de Lily sofre uma reviravolta. Uma força irresistível a leva a seguir o príncipe Amon até o lendário Vale dos Reis, no Egito, em busca dos outros dois irmãos adormecidos, numa luta contra o tempo para realizar a cerimônia que é a última esperança para salvar a humanidade do maligno deus Seth. Em O despertar do príncipe, Colleen Houck apresenta uma narrativa inteligente, cheia de humor e ironia.

(mais…)

É tudo uma questão de sintonia

66fbb41d635b2db5d40ed536ac660f79Antigamente eu olhava alguns casais amigos meus, ou amigos dos meus pais, ou até amigos de amigos meus e pensava: “meu Deus, como eles estão juntos há tanto tempo?” (você provavelmente deve conhecer algum casal que te faz pensar isso também) se passam dias, meses e anos, uma discussão ali, outra aqui, beijos e abraços, vitórias e derrotas e eles ali: juntos, como se tivessem começado a namorar ontem. Quem os vê juntos já pensa: “tão apaixonados, início de namoro é assim mesmo, daqui a pouco passa” mal sabem eles que já passou, estão há anos juntos, mas continuam com uma paixão inabalável. Por muito tempo me perguntei: como isso seria possível?  Então, depois de tanto observar e admirar esses casais, eu cheguei a uma resposta e te digo: é tudo uma questão de sintonia.

(mais…)

Resenha: The Kiss of Deception (Crônicas de Amor e Ódio #1), Mary E. Pearson

kiss-of-deception-capa-final-volume-1-darksidebooksLivro: The Kiss of Deception (Crônicas de Amor e Ódio #1)

Autor: Mary E. Pearson

Editora: Darkside Books

Páginas: 406

Ano: 2016

Sinopse: Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas menos para a protagonista dessa história. Morrighan é um reino imerso em tradições, histórias e deveres, e a Primeira Filha da Casa Real, uma garota de 17 anos chamada Lia, decidiu fugir de um casamento arranjado que supostamente selaria a paz entre dois reinos através de uma aliança política. O jovem príncipe escolhido se vê então obrigado a atravessar o continente para encontrá-la a qualquer custo. Mas essa se torna também a missão de um temido assassino. Quem a encontrará primeiro?

(mais…)

Indicação: Sejamos todos feministas, Chimamanda Ngozi Adichie

84747116Indicação: Sejamos todos feministas (Livro)

Sinopse: Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente do dia em que a chamaram de feminista pela primeira vez. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. “Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: ‘Você apoia o terrorismo!’”. Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e começou a se intitular uma “feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens”. Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1,5 milhão de visualizações e foi musicado por Beyoncé.

Antes de explicar o porque eu indico essa leitura, eu preciso explicar o que é uma indicação (no meu conceito, aqui no blog). Quando eu faço uma resenha literária ou uma crítica a algum filme, eu expresso minha opinião com base no que eu li e nos meus gostos e através das minhas impressões literárias o leitor vai poder decidir através dos gostos dele, se irá ler ou assistir determinado livro/filme. Quando eu faço uma indicação literária ou cinematográfica, o que eu tento passar é: não importa se isso não faz seu gosto literário ou se você não curte esse tipo de assunto, você precisa ler e assistir! Porque vai ser importante para você como pessoa/profissional e etc. 

(mais…)

Quatro versões: espectadores de relacionamento

Um dia desses estava rolando as postagens do Facebook, quando vi um post que me chamou atenção. Uma menina tinha compartilhado uma história que era mais ou menos assim: um garoto estava ao telefone com uma menina, e durante a ligação o menino implorava o amor da menina, dizendo que queria estar com ela, e que ela era sensacional e que eles deveriam estar juntos, de acordo com a declaração da menina que compartilhou essa história o garoto estava devastado e, pelo que contava a história, a menina pouco se importou, não quis saber dessas declarações que ele havia falado, simplesmente desligou o telefone e seguiu a vida (pelo menos era o que dizia a história contada). E então é óbvio que nos comentários dessa postagem havia  milhares de conclusões e  inúmeras suposições, todas do lado do menino, afinal, era ele que suplicava pelo amor da menina. O que eu conclui sobre essa história? Absolutamente nada!

(mais…)

Resenha: Á procura de Audrey, Sophie Kinsella

 

aprocuradeaudreyLivro: À Procura de Audrey

Autor(a): Sophie kinsella

Editora: Galera Record

Páginas: 336

Ano: 2015

Sinopse: Audrey, 14 anos, leva uma vida relativamente comum, até que começa a sofrer bullying na escola. Aos poucos, a menina perde completamente a vontade de estudar e conhecer novas pessoas. Sem coragem de sair de casa e escondida por um par de óculos escuros, a luz parece ter mesmo sumido de sua vida. Até que ela encontra Linus e aprende uma valiosa lição: mesmo perdida, uma pessoa pode encontrar o amor.

(mais…)

O bar de quarta-feira à tarde

Um dia voltando da faculdade passei em frente a um bar. Era uma quarta feira a tarde, por volta de umas quatro horas, o sol estava esturricando a cabeça de qualquer um na rua. No bar, além de alguns poucos atendentes, tinha um homem sentado em uma das mesas, tomando alguma coisa que eu chutaria ser uma cerveja.

Até então, você me diria, e dai? Eu sei que cada um faz da sua vida o que bem entender. Quem sou eu pra julgar. Mas a cena do homem não saiu da minha cabeça, era uma quarta feira, meio de semana, no período da tarde. Ele não tinha trabalho? Não deveria estar procurando um? Não deveria estar em casa cuidando da família? Não deveria estar no bar no meio da tarde, será que ele tinha perdido o rumo? Estava desgostoso com a vida? Passando por uma fase difícil? Será que era um solitário? Eu não sei, mas pra mim não era normal frequentar um bar na quarta feira a tarde.

(mais…)

Resenha: Isla e o Final Feliz, Stephanie Perkins

ISLA_E_O_FINAL_FELIZ_1431632854450316SK1431632854BLivro: Isla e o final feliz

Autor(a): Stephanie Perkins

Editora: intrinseca

Paginas: 304

Ano: 2015

Sinopse: Tímida e romântica, Isla tem uma queda pelo introspectivo Josh desde o primeiro ano na SOAP, uma escola americana em Paris. Mas sua timidez nunca permitiu que ela trocasse mais do que uma ou duas palavras com ele, quando muito. Depois de um encontro inesperado em Nova York durante as férias, envolvendo sisos retirados e uma quantidade considerável de analgésicos, os dois se aproximam, e o sonho de Isla finalmente se torna realidade. Prestes a se formarem no ensino médio, agora eles terão que enfrentar muitos desafios se quiserem continuar juntos, incluindo dramas familiares, dúvidas quanto ao futuro e a possibilidade cada vez maior de seguirem caminhos diferentes. Com participações de Anna, Étienne, Lola e Cricket, personagens mais do que queridos pelo público apresentados em livros anteriores da autora, Isla e o final feliz é uma história de amor delicada, apaixonante e sedutora, um desfecho que vai fazer os fãs de Stephanie Perkins suspirarem ainda mais.

(mais…)

Não quero um amor de cinema

Resolvi escrever esse texto porque acabei de sair do telefone com o meu namorado, conversa vai, conversa vem, eu acabei comentando que tinha lido um livro de romance (desses que os protagonista enfrentam o Deus e mundo para ficarem juntos), então com tom de brincadeira, ele me perguntou se eu preferia a nossa história de amor ou a do livro. E eu não precisei nem piscar pra dizer que preferia a nossa.

Me considero uma romântica incurável. Gosto de acreditar que me mantenho ali na linha tênue que separa a paixão da loucura. Sempre apaixonada por romances, seja na literatura ou em filmes, histórias de amor sempre foram as minhas favoritas. O grande problema dessas histórias, pra mim, são os casais. Esses casais que se amam loucamente, e quando eu digo loucamente não quero dizer que eles estão muitíssimo apaixonados, quero dizer que eles se comportam como loucos mesmo. Negativamente, é claro.

(mais…)